sexta-feira, 3 de agosto de 2012

A Crise dos Times de Prefeitura.



Eu não escondo mais que sou anti time de prefeitura, odeio-os, em alguns momentos até cometo erros criticando times de pessoas próximas aos cervebolíticos, mas na minha posição, acredito que esses times, ou melhor, timecos, deveriam sumir do mapa para que as equipes que estão sumidas retornem ao cenário do futebol nacional e talvez internacional.
Não é de hoje que faço críticas às federações do futebol brasileiro e suas relações de descaso com os falidos clubes de tradição de nosso futebol, abandonados por todos e ainda vendo a triste ascensão dos ditos clubes de prefeitura que não tem história nem torcida.
Mas tudo que é moda logo passa...
Nesse momento fazendo uma analise simples e superficial dos campeonatos brasileiros organizados pela péssima CBF, podemos notar uma crise nos clubes de prefeitura e um ressurgimento ainda tímido de alguns tradicionais.
Mas antes desta análise darei minha posição sobre o que considero um “timeco de prefeitura”.
Considero clubes de prefeitura aqueles clubes que surgiram no final dos anos 90 (com exceções para mais e para menos), muitas vezes com ajuda financeira de políticos, de prefeituras, patrocinadores relâmpagos a fim de levantar a moral de algum político ou empresário da cidade ou do bairro. Esses timecos são caracterizados por complicarem outras equipes nos estaduais, seu apogeu dura em média cinco anos, aparecem na séria A por uns 2 anos, complicam a vida dos grandes e depois somem, como não tem torcida nem camisa, acabam dependendo dos empresários e dos políticos para voltar a “enfear”  os campeonatos.
Vamos aos exemplos:
Na série A, FELIZMENTE, temos um quadro louvável. O fato é que depois de alguns anos não temos nenhum time de prefeitura brincando de futebol por aí e lotando seu estádio de espaço vazio. Isso é para comemorar e muito, lembram de Guaratinguetá, Ipatinga, São Caetano, Barueri, etc. Pois é, eles se foram. Ainda bem.
Pela Série B ainda temos alguns times de prefeitura passeando pelo campeonato, são 5 timecos no total de 20. A boa notícia é que os 4 primeiros da segundona são clubes históricos (o 5º colocado não) e o que é mais belo ainda é que dos 5 timecos, 3 estão na zona de rebaixamento neste momento. Vamos bebemorar ainda mais CERVEBOLÍTICOS!!!!!
Na série C, que tornou praticamente a primeira divisão desses timecos, e é onde sempre reina essas equipes sem tradição, tive que fazer uma rápida busca para saber mais sobre equipes que considero clubes de prefeitura, que na verdade pouco se conhece, mas são tantos os tradicionais esquecidos, que temo por cometer erros graves.
Mesmo sendo o terreno que ultimamente está sendo deles, este ano temos apenas seis equipes de 20, o problema é que estão caindo 4, sendo 2 tradicionais e 2 timecos, espero que isso mude.
Já na série D, o quadro é mais complicado, aqui considero a segundona para esses que chamo de timecos, é a maior concentração de times de prefeitura num único torneio em todo território terrestre, são 45 clubes no total da competição, sendo 14 timecos de prefeitura, torço para que sumam de vez, de forma alguma podem subir, pois se subirem é hora de acender o botão de alerta novamente.
Para finalizar a polêmica, alguns devem estar se perguntando, mas quais sãos os times de prefietura? cite-os!
ahh vão lá nas tabelas e olhem bem, depois me dizem o que acham.
Então que voltem os tradicionais esquecidos!
Torço para Ferroviário Atlético Clube - CE, Bangu, América-RJ, Olaria, Desportiva, Operário, Villa Nova MG, Valeriodoce de Itabira, Siderúrgica entre outros milhares de clubes esquecidos...

...a não ser que eles não queiram mais voltar para essa imundice que tá o futebol BRASILEIRO, aí sim, que continuem sumidos e que o abandonado fique sendo esse futebol de marcas e cifrões da atualidade.

Nenhum comentário: